Arquivos mensais: dezembro 2015

Cerveja Erdinger Weissbier

ERDINGER WEISSBIER

Cerveja Erdinger Weissbier

Olá a todos, a última cerveja do ano de 2015 é uma cerveja conhecidíssima. Considerada a maior, mais consumida e famosa cerveja de trigo do mundo, a Erdinger comercializa seus produtos em mais de 80 países. Uma das primeiras cervejas especiais a ser importada para o Brasil, ela geralmente é a cerveja que dá o pontapé inicial para futuros cervejeiros.

Fundada em 1886 em Erding, cidade da região da Baviera, sul da Alemanha, seu fundador Johann Kienle fundou uma pequena cervejaria para produzir exclusivamente cervejas à base de trigo. Logo após, em 1890, a cervejaria foi vendida para a família Stadlmaier de Munique. Em 1930, ela foi vendida novamente para o Grupo F.W. Otto AG, em 1949, ela teve seu nome alterado para Erdinger Weissräu, um ano depois, sua produção chegava a 6000 garrafas por hora.

Em 1980 foi a primeira cerveja de trigo popularizada em toda a Alemanha, após isso ela teve um crescimento vertiginoso.

Uma das únicas linhas de cerveja de trigo no mundo a utilizar duas fermentações distintas. Ou seja, ela é uma cerveja híbrida, pois a levedura utilizada nos tanques de fermentação é a Ale, aquela para cervejas de alta fermentação, e a segunda levedura é depositada na garrafa, e nesse caso é a levedura para Lager, aquela para cervejas de baixa fermentação. Graças a esse processo, a Erdinger tem um paladar único, muito fácil de beber, ou seja, ótima drinkability. Mas sua facilidade de ser degustada é o contrário de seu processo de maturação. Depois de engarrafada, a cerveja vai para uma adega climatizada onde ela fica de três a quatro semanas para total maturação. Um complexo método de produção que pouquíssimas cervejarias utilizam.

Vendidas em garrafas e latas de 500 ml, cerveja com 5,3 % de graduação alcoólica, é uma cerveja de cor amarelo pálido, com uma espuma abundante, bastante generosa. Porém, depois de alguns minutos essa espuma se dissipa completamente. Mas com um sabor muito leve, refrescante, excelente para um dia quente. Quase nenhum amargor, típico de uma Weissbier. Mas, ao contrário das clássicas Weissbier, não se percebe os clássicos aromas de cravo e banana, e sim um perfume sutil que lembra vagamente maracujá, seu sabor também se percebe um pouco dessa fruta. Acredito que seja por causa do duplo sistema de fermentação.

A Erdinger Weissbier harmoniza bem com peixes, frutos do mar, saladas, grelhados, salsichas e pratos apimentados. Encontra-se essa bela cerveja em lojas especializadas em cervejas especiais, supermercados e bons bares. Nós da equipe Blog Mundo da Cerveja desejamos a todos os amigos um 2016 abençoado, com muita paz, prosperidade, saúde, dinheiro, e ótimas cervejas. Muito obrigado pelas visitas, pelo feedback tanto positivo quanto negativo. Esperamos sua visita durante o ano de 2016!!

Críticas, dúvidas e sugestões serão sempre muito bem vindas. E podem ser enviadas para:

bebacomagente@blogmundodacerveja.com.br

Onde encontrei:

Hipermercado Sonda

Valor: R$ 17,90

Cerveja DAB

DAB 01

Cerveja DAB

Olá a todos, hoje vamos falar de uma cerveja que é símbolo de um país, orgulho de uma região, vamos falar da DAB Dortmunder Export.

O estilo nasceu na cidade de Dortmund, por isso seu nome, da família das Lagers, aquelas cervejas que são utilizadas leveduras de baixa fermentação era o estilo preferido dos operários das minas de carvão da região. Com a diminuição das indústrias pesadas por causa da decrescente importância da mesma, e conseqüente desaparecimento dos seus grandes pólos indutriais, esse estilo começou a cair em decadência com o passar dos anos.

O termo “Export” é uma categoria de cerveja da legislação tributária alemã e não é estritamente um sinônimo do estilo “Dortmunder”. Cervejas de outras cidades ou regiões podem ser feitas com o perfil de uma Export e serem chamadas como tal.

DAB 02

Observe que a espuma se dissipa rapidamente

Produzida pela Dortmund Action Brauerei desde 1868, ela é feita conforme reza a Lei da Pureza Alemã (a Reihenitsgebot) com malte de cevada, lúpulo e levedura, de cor dourada bem límpida, um pouco mais forte que uma cerveja Pilsen tem 5,0 % de graduação alcoólica e é vendida em garrafas de 330 ml.

Ao abrir a garrafa, nota-se o aroma do malte, não se nota aroma do lúpulo, espuma de baixíssima duração, mas no sabor nota-se a característica desse estilo de cerveja, um equilíbrio entre o malte e o lúpulo, ou seja, entre o adocicado do malte e o amargor do lúpulo, com sabor mais forte e um pouco picante no final do gole, e essa picancia no final do gole me lembrou um pouco a Cerveja Kirin Ichiban, mesmo a DAB sendo uma cerveja mais forte que uma Pilsen. Cerveja de paladar carbonatado, aquela sensação de borbulhas na boca, igual a beber um refrigerante, cerveja bastante refrescante, muito boa de beber, ou como dizem os especialistas em cerveja: “com boa drinkability”.

DAB 03

Detalhes do Rótulo

Harmoniza muito bem com aves, peixes, carne de porco e frutos do mar. É uma cerveja difícil de encontrar, acredito que em lojas especializadas em cervejas você poderá encontrar, eu encontrei em uma boa padaria aqui em Santo André – SP, nesse lugar tem uma carta de cervejas maravilhosa que bate de frente com ótimas lojas especializadas em cervejas especiais, não estou ganhando nada em divulgar o lugar, mas quem está lendo esse post e for da Região do ABC e esteja interessado em degustá-la, indicarei o local no final do post.

Críticas, dúvidas, sugestões poderão ser enviadas logo abaixo ou no nosso e-mail, bebacomagente@blogmundodacerveja.com.br. Boas cervejas a todos, até mais!!

 

Onde encontrei:

Padaria Bella Vitória

Endereço: R. Tuiuti, 39 – Vila Floresta, Santo André – SP

Valor: R$ 18,90

Cerveja Gauloise Christmas

 GAULOISE 01

CERVEJA GAULOISE CHRISTMAS            

Olá gente, tudo bem com vocês? Hoje vamos falar de uma cerveja diferenciada, temática. Hoje em dia no Brasil e no mundo temos várias marcas que fazem uma cerveja diferenciada para o Natal. Na Europa, cervejas mais fortes, alcoólicas para agradar quem mora em locais gelados nessa época do ano. E aqui no Brasil, cervejas mais refrescantes, ótimas para serem degustadas aqui, com esse calor forte que estamos enfrentando.

Vou aproveitar o post pra fazer uma mea culpa, na correria do dia a dia, trabalho e outras coisas mais, e eu acabei esquecendo esse filão cervejeiro, e só fui lembrar nesse final de semana. Então, não tive tempo de procurar vários tipos de cervejas natalinas, e acabei encontrando uma bela cerveja. Confesso que preferiria falar de uma cerveja natalina daqui, mas não consegui encontrar nada, mas acabei encontrando uma bela de uma cerveja belga, que me surpreendeu demais, a Cerveja Gauloise Christmas.

GAULOISE 02

Produzida pela cervejaria Du Bocq, dona de outras ótimas cervejas, ela é uma Belgian Dark Ale, aquelas belas cervejas produzidas com leveduras de alta fermentação, cor mogno escuro, vendidas em tradicionais garrafas belgas pequenas e charmosas de 330 ml e com uma boa graduação alcoólica de 8,1 %

Durante a caça de uma cerveja sazonal de Natal, e encontrando a Gauloise Christmas, conversando com o vendedor da loja, ele me explicou que essa cerveja é mais voltada pra temperaturas frias, na Europa hoje em dia está um frio muito forte ao contrário daqui, então poderia não ser tão boa a degustação da cerveja com esse calorão que estamos enfrentando.

Então fiquei meio apreensivo ao abrir a garrafa, mas essa apreensão foi dissolvida logo ao sentir o aroma dela, um cheiro gostoso de uvas passas, os 8,1 % de graduação alcoólica já fez presente no aroma, ao colocar a cerveja na taça fez uma espuma densa com ótima duração de cor bege um pouco mais escura e ficou uma leve película de espuma até o final da degustação, e como uma boa cerveja, deixou marcas na taça (o tal laço belga), ao provar o primeiro gole o álcool se fez presente novamente, foi a primeira sensação ao saborear, própria de uma cerveja feita para climas frios, sabor marcante de uvas passas também, pouco amargor no início do gole e depois uma explosão de um sabor mais adocicado, mas de forma alguma fazendo essa cerveja ser enjoativa de provar. Bastante encorpada e com pouca carbonatação, aquela sensação de efervescência típica de cervejas voltada para o calor e em refrigerantes. E mesmo no calor forte que estamos enfrentando nesses últimos dias, uma cerveja com ótima drinkability (termo utilizado para falar sobre a facilidade de provar uma cerveja).

Você que está lendo essa resenha sobre a Gauloise Christmas pode estar perguntando, e aí, devo provar uma cerveja mais direcionada para o inverno nesse calorão?? Pra responder eu sou um pouco suspeito, pois não tenho preconceito com estilo de cerveja com o clima, bebo cerveja voltada para o calor no inverno e vice versa, só recomendo, beba o que gosta de seja muito feliz.

Vendidas em lojas especializadas em cervejas especiais. Se você já provou, me fala o que achou aqui mesmo no post ou mandando um e-mail para bebacomagente@blogmundodacerveja.com.br. Dúvidas, criticas, sugestões são bem vindas tanto aqui quanto no e-mail.

Nós do Blog Mundo da Cerveja desejamos do fundo de nossos corações um Natal abençoado por Deus, que estejam juntos das pessoas que vocês gostam, com muita alegria e paz de espírito. Sintam-se abraçados. Feliz Natal a todos!

 

Onde encontrei:

Mr. Beer

Valor: R$ 31,90

Cerveja Leffe Blonde

ABADIA DE LEFFE

Abadia de Leffe, Belgica

Olá a todos, hoje vamos falar de uma cerveja diferente, que eu sempre tive vontade de saborear, a famosa Cerveja tipo Abadia.

Abadia, segundo definição do Wikipédia é “uma comunidade monástica cristã, originalmente católica  sob a tutela de um abade ou de uma abadessa, que a dirige com a dignidade de pai (ou madre) espiritual da comunidade”. Ou seja, um monastério religioso. Porém, o que pouca gente sabe, que antigamente o conhecimento sobre a fabricação de cervejas foi mantido e cultivado em monastérios, e principalmente no período da Quaresma, alguns padres, monges e abades apenas se alimentavam de cerveja, pois sua receita altamente nutritiva era considerada o “Pão Líquido”.

LEFFE BLONDE 01

Cerveja Leffe Blonde

Até hoje existem abadias que produzem dentro de seus domínios sua própria cerveja, seis deles estão na Bélgica: Achel, Chimay, Orval, Rochefort, Westmalle e Westvleteren, e um na Holanda: a La Trappe. E também temos as cervejas tipo Abadia que são fabricadas em cervejarias e tem marcas comerciais, entre elas a Maredsous e a Leffe que iremos falar dela hoje.

Cerveja produzida com a mesma tradicional receita desde 1240 pelos monges da Abadia de Leffe na Bélgica, hoje ela pertence ao catálogo de cervejas “Premium” da AMBEV, e é a cerveja tipo Abadia mais consumida no mundo. Ela é uma cerveja de alta fermentação com 6,6% de graduação alcoólica vendida em garrafas de 330 ml.

LEFFE BLONDE 02

Tive o prazer de beber a Leffe após combinar com alguns amigos a aquisição de um combo de cervejas, temos um amigo que trabalha na AMBEV que acabou vendendo pra nós uma caixa de Leffe. Ao abrir a garrafa senti um leve aroma tanto do malte quanto de cravo que me fez lembrar as cervejas de trigo que tanto amo. E quando coloquei no copo vi sua cor dourada muito bonita com uma espuma densa, duradoura e levemente amarelada, diferente de uma cerveja de trigo com sua espuma duradoura, porém branca, ou uma American Lager com sua espuma branca, mas rala. Porém, após o primeiro gole, aquela primeira impressão do aroma ser semelhante a uma cerveja de trigo sumiu, ao contrário da leveza do trigo, uma cerveja mais forte, com sabor do álcool presente, e ao mesmo tempo doce e seca. Como dizem quem entende uma cerveja com sabor complexo, porém muito deliciosa.

LEFFE BLONDE 03

Facilmente encontrada em bons bares e supermercados. Experimente e nos fale qual foi sua opinião sobre essa cerveja.Dúvidas, criticas e sugestões, mande um e-mail para bebacomagente@blogmundodacerveja.com.br, abraços e boas cervejas a todos.

 

Onde encontrei:

Wal-Mart

Valor: R$ 9,90

Cerveja Invicta 1000 IBU

INVICTA 1000 IBU

Cerveja Invicta 1000 IBU

Olá a todos, hoje vamos falar de uma cerveja que para quem gosta de sentir gosto de lúpulo (amargor) é um verdadeiro copo cheio. Vamos falar da Cerveja Invicta 1000 IBU.

Cervejaria de Ribeirão Preto – SP, ela nos traz uma cerveja do estilo Imperial India Pale Ale, ou Imperial IPA para os íntimos. Já falamos anteriormente sobre cervejas do estilo IPA (com as Karavelle IPA, Colorado Indica e Baden Baden IPA), que é uma cerveja com mais amargor pelo fato de maior quantidade de lúpulo em sua receita. Pois a Imperial IPA é uma cerveja que surgiu recentemente nos Estados Unidos para agradar aqueles fãs do lúpulo, que amam o amargor que o lúpulo proporciona.

Esse estilo possui um dos mais altos índices de IBU entre as cervejas. Mas o que é IBU?? É a sigla de Internacional Bittering Units (Unidade Internacional de Amargor em inglês) que é a unidade utilizada para mensurar o grau de amargor de uma cerveja. Ele pode ir de 0 até 120, sendo que quanto maior o número, maior é o grau de amargor da cerveja.

Mas espera aí! Se nós acabamos de comentar que a unidade pode chegar até 120 IBU´s, porque está escrito no rótulo da Invicta 1000 IBU´s (rótulo muito bonito por sinal)?? Na realidade é uma grande sacada de marketing, para quem comprar essa bela cerveja esperar uma porrada de amargor, e isso meus amigos que estão lendo esse blog, ela entrega, uma verdadeira pancada de amargor!!

Vendidas em garrafas de 500 ml, com belos 8% de graduação alcoólica, a Invicta 1000 IBU é uma cerveja de cor âmbar translúcida (um pouco mais escura que as IPA acima mencionadas) com espuma de boa formação e duração na cor bege bem clara, ao abrir a garrafa, já nota-se seu cheiro, seu aroma muito bom, ao chegar o copo à boca, sente-se uma cerveja bastante perfumada, além da porrada de amargor, ela também oferece um aroma muito gostoso, herbal, que agrada ao olfato. Sente-se o gosto do malte tostado de início e logo após o lúpulo toma conta do sabor com seu amargor proeminente. Porém, confesso que antes de abrir a garrafa, estava temeroso de ser extremamente amargo, algo que eu nem gostaria de beber, sim, ela é amarga, mas não deixa de ser uma cerveja fácil de saborear, muito gostosa mesmo.

No início do ano, um site internacional, a Rate Beer, que funciona como uma rede social mundial para os amantes de cerveja, e lista anualmente as melhores cervejas mundiais, elegeu a Invicta 1000 IBU como a melhor cerveja do Brasil.

Encontra-se essa bela cerveja em lojas especializadas em cervejas especiais e bons bares. Boas cervejas a todos.

Críticas, dúvidas e sugestões serão sempre muito bem vindas. E podem ser enviadas para:

bebacomagente@blogmundodacerveja.com.br

Onde encontrei:

Rock’n Beer (Shopping Metrópole – São Bernardo do Campo/SP)

Valor: R$ 29,90

Cerveja Madalena Bohemian Pilsen

MADALENA BOHEMIAN PILSNER

Cerveja Madalena Bohemian Pilsen

Olá a todos, hoje voltaremos a falar de uma excelente cervejaria brasileira, a Cervejaria Premium Paulista (CEPP) de Santo André – SP, que mais uma vez nos brinda com uma bela cerveja. Primeiramente, falamos da Cerveja Madalena American Wheat, dessa vez vamos falar de um tipo clássico de cerveja, vamos falar da Madalena Bohemian Pilsen.

Bohemian Pilsen é como se fosse o nome e o sobrenome de um dos estilos de cerveja mais apreciados no mundo, a famosa Cerveja Pilsen, que é uma cerveja tipo Lager, com leveduras de baixa fermentação, aroma e amargor pronunciado devido ao tipo de lúpulo utilizado, e sinceramente, bem diferente das “Pilsen” que é vendido nos supermercados daqui.

As diferenças dessa Madalena Bohemian Pilsen para as “Pilsen” que são vendidas no geral são sua coloração, no caso da Madalena uma cor dourada mais escura que as tradicionais cervejas nacionais, um aroma do lúpulo mais voltado para um cheiro mais herbáceo e um amargor bem mais pronunciado em relação as nossas cervejas tradicionais. Sem contar que no caso da Madalena é utilizado apenas água, malte de cevada, lúpulo e levedura, nada de cereais não malteados, uma cerveja puro malte. Uma cerveja bastante refrescante, com espuma branca de boa duração.

Vendida em garrafas de 600 ml e long neck de 355 ml, tem 5,0% de graduação alcoólica, segundo seu site, excelente opção para acompanhar bacalhau e pratos apimentados. Como tinha comentado no post da cerveja American Wheat, é uma cerveja que ainda não é tão fácil de se encontrar, eu  acabei encontrando numa loja de conveniencia em Santo André, mas quem quiser experimentar, e eu indico com toda a certeza, no próprio site(www.cervejariapremiumpaulista.com.br)  tem endereços de lugares para comprar, e bares para saboreá-la.  Experimente e nos fale qual foi sua opinião sobre essa cerveja. Dúvidas, criticas e sugestões, mande um e-mail para bebacomagente@blogmundodacerveja.com.br , abraços e boas cervejas a todos

Cerveja Hoegaarden Witbier

HOEGAARDEN 2

BrouwerijHoegaarden – Bélgica

Olá a todos, hoje falaremos sobre o estilo Witbier, uma cerveja muito refrescante, ideal para dias quentes, acompanhando comidas leves, em posts anteriores já falamos sobre ela com uma ótima representante, que é a Vedett, hoje apresentamos sua “rival” na Bélgica, a Hoegaarden.

Hoegaarden é uma cerveja de trigo com cascas de laranja e sementes de coriandro, também conhecido como coentro, muito conhecida na Europa. Segundo o “livro da Cerveja” (Autor: Tim Hampson; Editora Globo), ela ganhou esse nome devido ao vilarejo onde foi inicialmente fabricada, uma pequena cidade vizinha às fazendas de trigo de Brabant perto de Tienen,  nos Flandres Belgas. Há registros de produção de cerveja desde 1445, a tradição foi “esquecida” em meados de 1950, renasceu em 1965, e atualmente ela é comercializada em garrafas de 330 ml, com 4,9% de graduação alcoólica.

E a Hoegaarden não foge a regra das tradicionais cervejas belgas/holandesas/alemãs que foram criadas em mosteiros por monges que tinham grande habilidade em produzir cervejas, na época em que a Hoegaarden foi criada (em 1445) os grandes produtores de cerveja estavam confinados em mosteiros.

 HOEGAARDEN

Cerveja Hoegaarden com o seu tradicional copo estilo Tumbler

Conforme foi falado no post da Cerveja Vedett, aqui estamos diante de uma cerveja de coloração muito bonita, que ao dar o primeiro gole se percebe estar bebendo uma cerveja muito refrescante, saborosa, suave, com um toque cítrico no gosto, sensação final seca do gole que faz com que você queira tomar o próximo gole o mais rápido possível. Porém há a diferença de a Hoegaarden conter trigo em sua receita ao contrário da Vedett que contém somente cevada. Qual a melhor?? Pergunta dificílima de responder, só provando e ter sua opinião, alguns vão preferir a Vedett, outros irão preferir a Hoegaarden, eu só posso dizer que qualquer uma das duas são bem vindas na minha geladeira!!

Atualmente ela faz parte da linha de cervejas importadas da AMBEV, facilmente encontrada em grandes supermercados e bares.Esperamos que gostem de nossas postagens. Críticas ou sugestões podem ser enviadas no e-mail bebacomagente@blogmundodacerveja.com.br . Abraços e boas cervejas a todos.

Onde encontrei:

Hipermercados Sonda

Valor: R$ 9,90

Baden Baden IPA

BADEN BADEN IPA

BADEN BADEN IPA

Olá a todos, hoje vamos falar de uma cerveja produzida por uma das mais antigas microcervejarias do Brasil, a Baden Baden de Campos do Jordão – SP. Segundo o livro “100 Melhores Cervejas Brasileiras” (Autor: Mauricio Beltramelli; Editora Leya), em 1999, quatro amigos (José Vasconcelos, Aldo Bergamasco, Alberto Ferreira e Marcelo Moss) apaixonados por uma cerveja inglesa, a Spitfire, resolveram criar uma microcervejaria para que pudesse apreciar uma boa cerveja artesanal.

O nome Baden Baden surgiu devido ao restaurante Baden Baden, fundado em 1985, também em Campos de Jordão, por José Vasconcelos, um dos quatro fundadores da cervejaria.

Em 2007, a Baden Baden foi adquirida pela Schincariol, e hoje faz parte da linha de produtos da Brasil Kirin. Mesmo hoje em dia fazendo parte de um grande conglomerado cervejeiro, a marca não perdeu qualidade e é referencia de cerveja de qualidade no Brasil.

E a primeira cerveja da marca que falaremos é o ultimo lançamento, pois, mesmo com vasto leque de opções a Baden Baden não tinha uma IPA na sua linha de cervejas.

Lançada em Abril desse ano, a Baden Baden IPA leva maracujá na receita e com uma técnica exclusiva da Kirin Japão, o dip-hop, que de uma forma resumida pode se considerar a colocação de “suco de lúpulo” durante o processo, técnica que substitui o chamado “dry-hopping” que seria a adição de lúpulo seco na cerveja após sua fervura que faz perder sabores e aromas.

Cerveja vendida em garrafas de 600 ml, com 6,4 % de graduação alcoólica, e apenas 40 IBU (considerado baixo para uma cerveja estilo IPA), a Baden Baden buscou inspiração mais nos Estados Unidos que na Inglaterra, terra que nasceu o estilo, pelo fato de adicionar frutas no meio do processo. Com uma belíssima cor acobreada límpida, o perfume de maracujá foi sentido logo ao abrir a garrafa, mesmo degustando essa cerveja na garagem de casa (como podem ver na foto tirada, rsrsrs) o aroma é facilmente sentido, espuma de boa formação, bem branca, ao saborear a cerveja não foi aquela explosão de amargor que normalmente se sente ao saborear uma IPA, mas o que “faltou” em amargor, sobrou em sabor, principalmente do maracujá. Gostei muito do seu sabor, cerveja que pode ser degustada sem problema algum.

Acredito que pelo pouco amargor dessa IPA (40 IBU) acredito que ela seja uma ótima porta de entrada para quem quer experimentar cervejas mais amargas, que não conhecem cervejas de outros estilos além da onipresente “Pilsen”. E digo isso com conhecimento de causa, porque abri a cerveja em companhia de meus cunhados, e eles são apreciadores das nossas cervejas populares, não conheciam uma cerveja diferenciada, e pelo que pude perceber, houve aprovação de ambos com a Baden Baden IPA.

Segundo o site da cervejaria (www.badenbaden.com.br) essa cerveja harmoniza com hambúrguer bovino, comida mexicana, como tacos e burritos, picanha e também com doces à base de maracujá.

Facilmente encontradas em supermercados e bares. Se já degustou, me fala o que achou tanto aqui na página quanto no nosso e-mail bebacomagente@blogmundodacerveja.com.br

Boas cervejas a todos!! Até mais!!

 

Onde encontrei:

Hipermercado Sonda

Valor: R$ 15,90

Cerveja Mediterrânea Luisiana

CERVEJA MEDITERRANEA LUISIANA

Olá a todos, hoje vamos falar novamente da Cervejaria Mediterrânea, que nos brinda dessa vez com uma bela Cerveja Dry Stout. Na primeira postagem falando dela, comentamos sobre a Cerveja Kentucky uma Scottish Heavy bastante saborosa que utiliza em sua receita folhas de oliva para que seu amargor tenha uma sinergia com o amargor do lúpulo fazendo com que a cerveja tenha um sabor diferenciado.

As folhas de oliva também estão presentes na Cerveja Luisiana, e mais uma vez temos uma homenagem a um estado americano, proposta da Mediterrânea de homenagear a cultura de inovação cervejeira daquele país.

Já falamos de cerveja estilo Dry Stout nesse blog com a Cerveja Guinness, e com a Cerveja Luisiana temos outra cerveja que representa bem o estilo. De cor escura, ao contrário da Guinness de cor preta bem opaca, a Luisiana já tem uma tonalidade marrom escura, levemente avermelhada, com 4,56% de graduação alcoólica, e vendida em garrafas de 300 ml, a Luisiana ofereceu a mesma espuma abundante que ocorreu com a Kentucky. Aroma que lembra pão tostado que vem do seu malte torrado, amargor um pouco maior que a Kentucky (35 IBU) ao degustar ela tem ótima carbonatação, aquela sensação de borbulhas de um refrigerante, e o final do gole bem seco, próprio do estilo. Outra coisa que me chamou a atenção foi os resquícios de espuma que ficou no copo, que segundo quem entende de cerveja é sinal da qualidade do produto. Dessa vez não senti nem aroma nem sabor de oliva, coisa que aconteceu ao sentir o aroma da primeira cerveja a provar da marca.

Novamente, fomos surpreendidos positivamente com a Cerveja Mediterrânea. Uma cerveja com ótima drinkability (que é o nome que se dá a facilidade em beber) e não vemos a hora de abrir a próxima garrafa.

Conforme nós comentamos na primeira postagem sobre a Cerveja Mediterranea, se você que está lendo essa postagem e se interessar em saborear essa cerveja acesse o site (www.cervejamediterranea.com), eles entregam para todo o Brasil, se você mora em São Paulo, pode encontrá-la no Emporio Alto de Pinheiros, referencia cervejeira em São Paulo. E se já experimentou e quer fazer um comentário, uma crítica ou uma sugestão, fique a vontade, tanto aqui na página quanto no nosso e-mail bebacomagente@blogmundodacerveja.com.br . Boas cervejas a todos. Até mais!