Arquivos mensais: novembro 2017

BMdC News: Colaborativa entre Dádiva e Tito Bier saúda personalidade feminina da Idade Média

Para uns, a Santa Hildegarda de Bingen, para outros, a monja beneditina Hildegard von Bingen. Para todos, uma mulher à frente de seu tempo, que surpreendeu a Alemanha do século XII com sua força e singularidade, e que hoje inspira o novo rótulo na linha pensadores da Tito Bier, desenvolvido em parceria com a Cervejaria Dádiva.

A mística Hildegarda foi escritora, poetisa, dramaturga, compositora, teóloga e também uma notável observadora da natureza com fundamento científico, e é aí que entra sua festejada relação com o mundo cervejeiro, sendo atribuída a ela a primeira menção histórica sobre os efeitos aromatizantes e conservantes do Lúpulo nas produções da época feitas com cervejas de aveia.

Em estilo Imperial Pilsner, com 8,1% de álcool, a colaborativa Hildegarda chega ao mercado apenas em lata, para melhor conservar as propriedades do lúpulo, utilizado nesta produção em abundância. A lata de 473ml tem preço sugerido de R$ 32,00 e já está à venda no Biergarten da Tito Bier e pontos preferenciais da Cervejaria Dádiva em São Paulo e demais estados. Vendas on line também integram as opções de compra acessandowww.hoppack.com.br

Sobre a Tito Bier

Quem é do ramo, sabe. A fermentação é uma viagem. A fermentação é transformação de verdade. Na tentativa de controlar a anarquia biológica de fungos e bactérias, a humanidade chegou ao pão, ao queijo, ao picles, ao vinho e, sim, à cerveja. A Tito Bier nasceu de maneira semelhante, meio espontaneamente, as coisas fugindo um pouco do script para dar origem a uma outra história. Curiosos em tempo integral, o fotógrafo Claus Lehman e o designer Vini Marson viram na garagem de uma amiga na Lapa (perto da rua Tito), o lugar perfeito para cultivar uma ideia que já vinha embolorando na cabeça deles, entre um trabalho e outro, e cada vez mais no instável mercado editorial. “Por que não dedicar mais tempo à cerveja feita por prazer para distribuir aos amigos?”. Não é isso o trabalho? De lá para cá as garagens mudaram assim como as receitas e a cerveja extrapolou a roda de amigos. Mas, a vontade de fazer uma cerveja de que gostassem de verdade permaneceu a mesma. Em 2015 aconteceria o primeiro salto das panelas pequenas e da produção feita com os próprios braços para as grandes levas, com cerca de 2 mil litros. Hoje, produzem seus rótulos nas instalações da Cervejaria Dádiva, em Várzea Paulista, no interior de São Paulo. Com a fermentação, a história é assim – uma transformação leva a outra e o negócio não para de borbulhar.

Fonte: Lead Co.

Resenha Cervejeira: Cerveja Mathias London Calling Extra Strong Bitter (ESB)

Olá galera cervejeira, tudo bem com vocês? 

Bora conhecer mais uma bela cervejaria desse Brasilzão lindo de meu Deus? E estamos muito felizes pois iremos falar de mais uma cervejaria que nasce aqui na cidade de Santo André – SP, a cervejaria da vez é a Mathias Cia. Cervejeira, e a primeira cerveja deles que irá dar o ar da graça aqui no BMdC é a Mathias London Calling, deliciosa Extra Special Bitter, ou, ESB para os íntimos. 

Cervejaria que iniciou suas atividades esse ano aqui em Santo André, pelos irmãos Fábio Mathias e Michel Mathias (agora sabemos o motivo do nome da cervejaria), eles começaram a produção de cerveja no quintal na casa dos seus pais. E o que, no início era hobby e diversão começou a tomar outro rumo. E para que muito mais gente pudesse apreciar suas cervejas, eles se tornaram cervejeiros ciganos, fazendo suas criaçoes na Landbier de Presidente Prudente – SP. 

O estilo Extra Special Bitter (ESB), já passou por aqui nas postagens da Cerveja Campinas ESB, e Dama ESB, vale a pena a leitura também. 

Conhecemos a Mathias Cia. Cervejeira por causa dos nobres amigos do Fulla’s BrewPub, um dos melhores bares daqui de Santo André, e em um dia que visitamos o bar, uma das cervejas da Mathias estava engatada, a excelente Mathias Bolt Oatmeal Stout (que em breve estará aqui no BMdC), ficamos encantados com o sabor e aroma dessa cerveja, e já que gostamos muito de ESB, resolvemos levar pra experimentar, e aqui está o que vimos sobre a Mathias London Calling ESB. 

Vendidas em garrafas de 500 ml, com um rótulo muito bonito (característica das cervejas da Mathias Cia. Cervejeira), a Mathias London Calling tem 5,8% de graduação alcoólica, e 37 IBUs de amargor. Cerveja de coloração âmbar escuro avermelhado, levemente turvo, com espuma bege muito bonita com ótima formação e duração melhor ainda, com uma boa camada de espuma que fica no copo até o seu final. Seu aroma é uma leitura dos lúpulos Target, Fuggles e East Kent Golding, sentimos um aroma bem floral muito agradável, ela não é aquela cerveja de abrir a garrafa e o aroma invadir a narina da pessoa, mas isso é coisa própria do estilo. Seu sabor é rico, um sabor intenso que se percebe a presença do malte e um amargor elegante toma conta das papilas gustativas fazendo um belo equilíbrio com o sabor do malte, o completando, e deixando o gole ainda mais prazeroso. 

Opinião do BMdC sobre a Mathias London Calling ESB: Na boa, que cerveja maravilhosa. Se ficamos muito encantados ao experimentar a Mathias Bolt, o nível continuou altíssimo com a Mathias London Calling. Uma cerveja para ser bebida em grandes quantidades sem pressa com amigos, regado a boas conversas e risadas. Uma senhora cerveja. 

A Mathias London Calling ESB combina muito bem com carnes assadas, churrasco, frango grelhado, hambúrguer, e como uma ótima ESB, o clássico Fish and Chips. 

Essa bela cerveja por enquanto é encontrada no Fulla’s Brewpub (Av. Higienópolis, 341 – Vila Gilda, Santo André – SP) e também no seu Tap House (Rua Cel. Agenor de Camargo, 238 – Centro – Santo André – SP), e se você que está lendo essa postagem gostou do que leu e quer experimentar essa cerveja, acesse seu Instagram @mathiasciacervejeira, ou facebook.com/mathiasciacervejeira.  Agora eu pergunto pra você amiga cervejeira e amigo cervejeiro, já bebeu a Mathias London Calling ESB?? O que achou dela?? Gostou ou não gostou?? Fala pra gente tanto aqui no final da postagem quanto no nosso e-mail bebacomagente@blogmundodacerveja.com.br.  

Saúde galera cervejeira, e bora beber!!  

Resenha Cervejeira: Cerveja CBB Tartaruga de Pente – Belgian Blond Ale

Olá galera cervejeira, tudo bem com vocês?? 

Bora voltar a falar de uma das cervejarias que mais impressionaram a gente nesses últimos tempos, uma cervejaria com algo mais que fazer ótimas cervejas. Estamos falando da Cia de Brassagem Brasil, ou CBB para os íntimos. Já comentamos sobre seu nascimento, o lançamento de suas cervejas, e também da sua CBB Onça Pintada, belíssima Session IPA, agora é hora de falarmos de outra de suas criações, então galera cervejeira, conheçam a CBB Tartaruga de Pente, uma Belgian Blond Ale. 

Como comentamos nas postagens anteriores, a CBB é uma cervejaria que lançou seus rótulos em Março desse ano, cervejaria cigana que faz suas cervejas na LandBier de Presidente Prudente – SP, e como comentamos na postagem de sua apresentação, a CBB é uma cervejaria criada para destruir estereótipos, e que segundo a eles “temos em nossa essência o retrato exato das potencialidades do nosso país e através das figuras mais expressivas da biodiversidade, transmitidos os SENTIMENTOS DE BRASILIDADE desta cervejaria”.  

Igualmente fizemos nas outras postagens, dá só uma olhada na escalação do time CBB:  

Alessandro Pisa – Diretor de Planejamento & Novos negócios – cervejeiro, sommelier de cervejas e entusiasta de maturação de cervejas em madeiras.  

Beatriz Oliveira – Diretora de Marketing & Parceiras – propagadora da comunicação, sommelier de cervejas, adoradora de copos e consultora de bebidas para bares e restaurantes.  

Danielle Mingatos – Diretora de Tecnologia Cervejeira – sommelier de cervejas, cervejeira, especialista em tecnologia cervejeira e amante de cervejas da escola belga.  

Flavio Garcia – Diretor de Operações – cervejeiro, docente nos cursos de homebrew, idealizador, fabricante de equipamentos de produção cervejeira e um criativo nato.  

Luiz Pisa – Cervejeiro – estudioso de insumos cervejeiros e da gastronomia é o especialista do processo produtivo das cervejas da CBB.  

Outra coisa que chama muito a atenção sobre a CBB é o engajamento da cervejaria em relação a proteção dos animais silvestres. O engajamento é tanto que eles colocam em seu rótulo parcerias com ONGs de proteção animal, como no caso da CBB Onça Pintada que a parceria é com a Onsafari, e com a CBB Tartaruga de Pente com o Projeto Tamar.

Cerveja vendida em garrafas de 500 ml (nosso caso) e latas de 473 ml, com 6,5% de graduação alcoólica e apenas 15 IBUs de amargor, a CBB Tartaruga de Pente tem uma coloração âmbar levemente turva, com uma espuma de boa formação e bela duração, deixando um anel de espuma ao redor da taça até o seu final. Aroma bem frutado, com um leve caramelo, bem no estilo Belgian Blond Ale, aroma muitíssimo agradável, e o sabor acaba sendo um bom reflexo desse aroma, início de gole adocicado, onde o frutado também chega forte no paladar, praticamente nenhum amargor. Cerveja levemente encorpada, muito gostosa. 

Opinião do BMdC sobre a CBB Tartaruga de Pente: Uma cerveja bastante saborosa, com um aroma muito agradável, que acreditamos que irá agradar tanto uma pessoa que nunca bebeu uma cerveja especial, tanto aquela que está entrando no mundo das cervejas especiais e também aquela pessoa que já entrou de cabeça nesse maravilhoso mundo das cervejas especiais. 

De momento, as cervejas da CBB são encontradas no Experiência Cervejeira na Chácara Flora – SP. Porém, temos certeza que quem está lendo essa postagem quiser conhecer seus sabores, entrando em contato em seu Instagram, eles poderão auxiliar a quem quer conhecer seu sabor a conhecer suas cervejas.  

Gostou da postagem? Gostou da cerveja, comenta aqui no final da postagem ou em nosso e-mail bebacomagente@blogmundodacerveja.com.br.  

Saúde galera cervejeira, e bora beber!! 

BMdC News: Mea Culpa abre sua fábrica ao público para pré-lançamento de Generosidade, sua nova IPA com Cryo Hops

Neste sábado (25), a cervejaria Mea Culpa realiza mais um Beer Day; dia no qual a fábrica abre suas portas ao público e comercializa seus rótulos diretamente com o consumidor.

Desta vez, ocorrerá ainda o pré-lançamento da Generosidade, uma IPA com Cryo Hops – a primeira virtude da linha de produtos da marca, que já conta com outra inspirada nos sete pecados capitais.

O evento rola das 12h às 19h e a entrada é franca. Serão oito torneiras de chope com preços a partir de R$ 15 o litro e você paga apenas o que consome – tanto no copo como no growler.

Vai ter ainda música ao vivo e burgers do Velho Burger (com opções vegetarianas). Para a criançada, espaço de recreação infantil e doces.

Para mais informações, acesse o link do evento: http://bit.ly/2jlrr6X

Resenha Cervejeira: Cerveja Antídoto Cherry & Pepper Imperial Stout

Fala galera cervejeira!! Tudo bem com vocês?? 

Sabe que dia é hoje?? Dia de falar de uma cerveja que tivemos a oportunidade e honra de experimentar graças aos amigos queridos da Santa Brewers, loja on line de cervejas especiais com mais de 100 rótulos diferentes, entre eles a bela Cherry & Pepper, Imperial Stout intensa feita pela galera da Cervejaria Antídoto que há passou por aqui com a Rye APA Manipulada. 

Conforme comentamos na postagem da Antídoto Manipulada Rye APA, vimos no site da Cervejaria Antídoto (www.cervejariaantidoto.com.br): “A Antídoto Cervejaria iniciou suas atividades em janeiro de 2017,reservando seu lançamento oficial para o Festival da Cerveja 2017. A proposta da Antídoto é trazer cervejas que despertem os sentidos através de aromas e sabores, cervejas que sejam fáceis de beber, para trazer, cada vez mais, as pessoas para esse mundo das cervejas artesanais.  

Vendida em garrafas de 500 ml, com 9,0% de graduação alcoólica (IBUs não informados), a Cherry & Pepper é uma cerveja de coloração negra opaca, fechada, com espuma bege de média formação e pouca duração. Em seu rótulo consta que essa cerveja foi feita de forma que ela fica maturada com cereja in natura do tipo Sour Cherry juntamente com a pimenta Habanero Chocolate, uma das pimentas mais ardidas do mundo. E esses dois ingredientes serão referencias em aroma e sabor. No aroma, quem toma conta é a cereja, desde o momento em que a garrafa é aberta, um aroma suave e gostoso da cereja já invade as narinas. Com a cerveja na taça, a cereja ainda é personagem principal, a pimenta está quietinha, esperando o momento certo de dar suas caras, e o seu momento é quando essa cerveja chega em nossas papilas gustativas, seu sabor picante toma conta do paladar juntamente com um sabor torrado de seus maltes. Cerveja de bom corpo, e que traz um leve aquecimento graças a sua graduação alcoólica. 

Opinião do BMdC sobre a Antídoto Cherry & Pepper: Concordamos com o que está escrito na garrafa, uma cerveja feita para ser degustada sem pressa nenhuma, com calma, apreciando o aroma da cereja, pra quem gosta de comidas/bebidas apimentadas toda a potência que a Habanero Chocolate tem pra entregar. Belíssima cerveja. 

Cerveja que ganhou Medalha de Ouro no último Festival Brasileiro da Cerveja que rolou em Blumenau – SC. A Antídoto Cherry & Pepper combina muito bem com sobremesas de chocolate em geral, cheesecakes de frutas vermelhas, panna cotta, creme brulée e sorvetes.  

Você amante de boas cervejas que está lendo essa postagem poderá encontrar a Antídoto Cherry & Pepper acessando www.santabrewers.com.br, além dessa cerveja, você poderá encontrar uma infinidade de boas cervejas, de vários estilos com preço bom e entrega rápida.  

Saúde galera cervejeira, e bora beber!! 

Resenha Cervejeira: Cerveja Doktor Bräu Anesthes’IPA – Imperial IPA

Olá galera cervejeira, tudo bem com vocês? 

Bora falar de uma cervejaria que chegou aqui no BMdC recentemente, mas manda tão bem em suas cervejas que estamos aqui de volta a falar dela com o maior prazer. A cervejaria em questão é a Doktor Bräu, cervejaria que atualmente está de casa nova na divisa das cidades de Congonhal e Pouso Alegre, em Minas Gerais, que apareceu aqui primeiramente com a deliciosa Doktor Bräu Witamina, uma (como o nome já denuncia) Witbier com muito sabor, e agora ela continua mandando bem com uma bela Imperial IPA, galera cervejeira, conheça a Doktor Bräu Anesthesi’IPA. 

Como comentamos na postagem da Doktor Bräu Witamina, a história da Doktor Bräu é bastante interessante, pois em 2015 ela veio ao mundo graças a união de um médico, Norberto Hopfgartner descendente de austríacos, e de um farmacêutico, Fernando Evans. E juntando um médico e um farmacêutico, temos o motivo de a cervejaria ter esse nome diferente e bem bolado, trazendo referência das profissões de seus criadores. E ainda tem mais, o significado de Hopfgartner em alemão é “jardineiro de lúpulo”, uma motivação a mais para resgatar a tradição de seu nome, porém, ao invés de plantar lúpulo, produzir cerveja. Outra coisa muito interessante é a relação de suas profissões com os nomes de suas cervejas, pois além da Witamina que foi falada na outra postagem e da Anesthes’IPA, os outros rótulos têm nomes que lembram perfeitamente o universo médico-farmacêutico como as bem boladas PsicotIPA (American IPA com aromas cítricos);  Soro N’Aveia (Summer Ale com aveia); MedikaMenthus (APA com hortelã) e HemorragIPA (Red IPA com hibisco). E pra completar, seus rótulos (muito bonitos por sinal) são feitos pela ilustradora Tami Hopfgartner em seu estúdio em Vevey, na Suíça.  

Vendida em garrafas de 300 ml, 500 ml (nosso caso) com um belíssimo rótulo, a Doktor Bräu Anesthes’IPA tem bons 8,6% de graduação alcoólica (IBUs não informados). Cerveja de coloração âmbar alaranjada com espuma branca de média formação, porém, com boa duração, deixando um anel de espuma ao redor da taça até o seu final. O aroma da Doktor Bräu Anesthes’IPA é bastante potente no aroma, um aroma de frutas cítricas vinda de seus lúpulos dá uma mostra da bela breja que está dentro da taça. No sabor temos no início um paladar levemente adocicado, mas isso é por pouco tempo, pois logo após vem uma bela pancada de amargor digno de uma belíssima Imperial IPA, Double IPA, seja lá qual for a nomenclatura que você preferir, e esse amargor persiste na boca mesmo depois de um tempinho do último gole. Cerveja de corpo médio, porém, muito refrescante. 

Opinião do BMdC sobre a Doktor Bräu Anesthes’IPA: Uma cerveja feita para quem gosta de uma boa dose de amargor na cerveja. Muito aroma cítirico, muito sabor, uma cerveja completa e que vale o repeteco. 

Virando o rótulo da garrafa, vimos que essa bela breja combina muito bem um bom fondue, pratos picantes ou carnes suculentas. 

A Doktor Bräu Anesthes’IPA é vendida em lojas especializadas em cervejas especiais tanto físicas quanto on-line, e também nos melhores bares. Curtiu a postagem? Comente aqui no final da postagem ou em nosso e-mail bebacomagente@blogmundodacerveja.com.br.  

Saúde galera cervejeira e bora beber!!  

BMdC News: Cervejaria Campinas ganha mais medalhas

Fala galera cervejeira!! Tudo bem com vocês??
Olha só a novidade que a Cervejaria Campinas trouxe pra gente:
Mais uma vez ouro!! Agora na categoria Pale Lager na Copa da Cerveja POA, um concurso disputado com mais de 700 rótulos. E tem mais! Ficamos em 2º lugar na Classificação Geral de todas as cervejas que foram ouro em suas categorias. Sucesso! Não poderíamos estar mais felizes! Cheers!
Melhor Lager – OURO na categoria Pale Lager
2a melhor cerveja do concurso – PRATA no The Best of Show
Parabéns Cervejaria Campinas.
Saúde galera cervejeira, e bora beber!!

Resenha Cervejeira: Cerveja Backer Capitão Senra

Olá galera cervejeira, tudo bem com vocês?? 

Hoje é dia de falar de uma cervejaria mineira que manda muitíssimo bem nas suas cervejas e que já deu o ar de sua graça aqui no BMdC. Estamos falando da Cervejaria Backer que apareceu aqui pela primeira vez com a sua deliciosa Imperial Porter Backer 3 Lobos Bravo, e hoje aparece novamente aqui com um de seus rótulos clássicos, a Backer Capitão Senra Amber Lager, cerveja essa que tivemos o prazer de beber num dos bares que nos sentimos em casa, estamos falando do Fulla’s BrewPub daqui de Santo André – SP. E além da cerveja, estávamos muito bem acompanhados, mas a companhia vamos falar dela mais pro final da postagem. 

Como comentamos anteriormente na postagem da Backer 3 Lobos Bravo, a história da Cervejaria Backer, conforme seu site (www.cervejariabacker.com.br) iniciou em 1999 pela coragem e persistência dos irmãos Lebbos, sendo a primeira cervejaria artesanal de Minas Gerais, e também a primeira cervejaria artesanal mineira a ganhar medalhas fora do Brasil, em 2011 no South Beer Cup na Argentina. 

E essa cerveja tem história e um significado especial, pois o Capitão Senra existe, ele é considerado simplesmente o “maior harleyro do Brasil” apaixonado pelas iconicas motos Harley-Davidson,  e capitão dos batedores do Exército na época do presidente Juscelino Kubitschek. E a Cervejaria Backer fez essa bela e justa homenagem com uma bela cerveja.

Backer Capitão Senra com o fantástico Porco Ale. Foto tirada no Fulla’s Brewpub. 

Cerveja vendida primeiramente em garrafas de 600 ml, e atualmente em lindas latas de 473 ml com 5,3 % de graduação alcoólica (IBUs não informados) ela é uma cerveja de coloração âmbar muito bonita, límpida, cristalina, com espuma branca de pouca formação e duração. O aroma da Backer Capitão Senra tem como personagem principal o malte, com um leve torrado. No sabor, uma grata surpresa, um leve toque frutado e licoroso no seu paladar com um leve amargor que acompanha até o final do gole. 

Opinião do BMdC sobre a Backer Capitão Senra: Bela cerveja, esse toque frutado e licoroso faz com que ela seja muitíssimo agradável de se beber, uma senhora cerveja que faz jus a grande quantidade de pessoas que simplesmente amam essa bela cerveja. 

Lembra que no início da postagem comentamos que bebemos a Backer Capitão Senra muito bem acompanhados?? Pois bem, na foto acima você pode ver essa bela cerveja com um sanduiche simplesmente divino, esse é o Porco Ale, especialidade da cozinha do Fulla’s BrewPub que consiste em uma deliciosa carne de porco cozida na panela de pressão com cerveja Pale Ale. Essa carne é colocada dentro de uma bela baguete de pão Semi-Italiano e coberto com queijo. Um sanduiche espetacular que indicamos fortemente quem for da região do ABC, ou redondezas experimentar, e também beber uma ótima carta de cervejas, uma das mais completas cartas de cervejas do ABC. Se interessou?? No final da postagem tem o endereço do Fulla’s BrewPub. 

A Backer Capitão Senra é vendida além do Fulla’s BrewPub, em ótimos bares, lojas especializadas em cervejas especiais fisicas ou on-line. E você, curtiu a postagem? Comente aqui no final ou em nosso e-mail bebacomagente@blogmundodacerveja.com.br.  

Saúde galera cervejeira e bora beber!!  

Fulla’s BrewPub: Av. Higienópolis, 341 – Vila Gilda, Santo André – SP

Telefone: (11) 4316-4930

Resenha Cervejeira: Cerveja Daoravida Akaya Brazilian Juicy IPA

Fala galera cervejeira, tudo bem com vocês?? 

Bora falar de uma cervejaria que fazem nossa vida ficar ainda mais daora, acho que essa frase já entrega que falaremos da Cervejaria Daoravida de Campinas – SP, e a cerveja que falaremos hoje é seu mais novo lançamento, falaremos da Daoravida Akaya, uma Brazilian Juicy IPA, com inclusão de polpa de cajá, e feita colaborativamente com a italiana Birrificio Del Ducato. 

Já comentamos anteriormente sobre a história da Daoravida, e nela comentamos que ela foi criada por Wagner Falci e Michele Gimenez, casal apaixonado por cervejas, e lançada oficialmente em novembro de 2015 pelo clube de cervejas Hop Hunters. Mas antes do lançamento oficial a Daoravida já fazia barulho, pois já em 2013, eles começaram a fazer cerveja em um apartamento de 50 metros quadrados, e tiveram a bela surpresa de saber que a bebida fazia muito sucesso entre seus amigos e colegas, com isso, o casal passou a produzir com mais frequência em uma casa maior que pertencia a família Stênico, amigos que, além de disponibilizarem o local, passaram a ajudar na produção. Atualmente, a Daoravida é uma cervejaria por contrato, mais conhecida como cervejaria cigana, e produz cerca de 5 mil litros de cerveja por mês. 

Também postamos na época de seu lançamento que o nascimento da Akaya teve ser pontapé inicial durante o Festival Brasileiro de Cerveja em Blumenau, saindo vencedor do estilo California Common, com a Commonzinha – Mas nem tanto. Esse rótulo e a Minine (Juicy Session IPA), principalmente, chamaram a atenção do Giovannni Campari, dono da Birrificio del Ducato e um dos jurados do festival. Campari até gravou um vídeo para as redes sociais da Daoravida falando sobre a cerveja, e após isso, foi combinada a produção dessa bela cerveja. Um fato interessante do nome da cerveja é que Akaya é cajá em tupi-guarani. 

Cerveja vendida numa lata com arte muito bonita de 473 ml, com 6,5% de graduação alcoólica e 60 IBUs de amargor, ela tem a coloração amarelada turva, com espuma de boa formação e duração. O aroma da Daoravida Akaya remete muito à polpa de cajá que está em sua receita, tabelando com os aromas cítricos e frutados de seus lúpulos. No sabor, temos uma cerveja um pouco diferente de uma New England IPA, pois aquele harsh (sensação de acidez ao beber uma NE IPA) nesse caso não existe, em seu lugar o gosto azedo do cajá deixando a cerveja muito saborosa, com amargor praticamente inexistente e um final de gole mais seco, pedindo um novo gole. 

Opinião do BMdC sobre a Daoravida Akaya: Uma cerveja muito gostosa e refrescante. Tivemos o prazer de beber essa cerveja em seu lançamento que ocorreu no dia 18 de outubro no Empório Alto dos Pinheiros, e lá, tivemos o prazer de conhecer o criador da Daoravida, Wagner Falci, extremamente simpático e um apaixonado por cervejas. E uma coisa que ele comentou que foi feito na Daoravida Akayá e que nós vimos como um belo ponto positivo sobre essa cerveja, é que ela é uma cerveja leve, diferente de outras cervejas de estilo semelhante (NE IPA) que são mais pesadas, com mais corpo. Sim, amamos de coração uma NE IPA clássica, mas a Daoravida Akaya é uma cerveja que reúne todos os pontos positivos de uma NE IPA clássica (aroma e sabor extremo) com uma leveza que traz ainda mais prazer ao beber essa cerveja num dia mais quente. 

A Daoravida Akaya é encontrada nas melhores lojas de cervejas tanto físicas quanto on-line. E você que está lendo essa postagem, já experimentou a Daoravida Akaya?? O que achou dela?? Gostou ou não gostou?? Fala pra gente tanto aqui no final do post quanto no nosso e-mail bebacomagente@blogmundodacerveja.com.br.   

Saúde galera cervejeira, e bora beber!   

 

Resenha Cervejeira: Cerveja Wigg Beer Kölsch

Fala galera cervejeira, tudo bem com vocês?? 

Hoje é dia de falar de uma cervejaria que quando apareceu aqui pela primeira vez ficamos tão felizes de experimentar suas cervejas e queríamos muito que ela voltasse com outros estilos, e graças à Ninkasi, a Deusa Cervejeira ela tá de volta e com uma cerveja que é pra beber de joelhos e ficar deprimido quando a garrafa acaba. Sim minha galera cervejeira querida, vamos falar da Wigg Beer, cervejaria da cidade de Macaé – RJ, que já passou aqui com a melhor Weizenbier que bebemos até hoje, a Wigg Beer Weizenbier, e a não menos espetacular Wigg Beer American IPA, agora é hora de rever essa fabulosa cervejaria e dessa vez iremos falar da sua releitura do tradicionalíssimo estilo Kölsch, então minha galera cervejeira querida, bora falar da Wigg Beer Kölsch. 

E como falamos nas postagens anteriores sobre a Wigg Beer, e fazemos questão de repetir palavra por palavra pois é merecido, o BMdC conheceu a Wigg Beer pelo Instagram, ferramenta maravilhosa e bendita para quem quer conhecer pessoas que fazem trabalho de qualidade, e gostamos muito de acompanhar outras páginas do Instagram de pessoas que entendem muito mais que a gente de cerveja, dessa forma aprendemos mais e mais. E na página que eu considero a melhor página cervejeira do Instagram do meu amigo @bar_do_magrao acabei vendo uma resenha que ele fez sobre essa cervejaria, e gostamos de interagir com as páginas que seguimos, e até com a cervejaria em si. O Magrão, sempre solícito com seus seguidores prontamente respondeu minha mensagem, mas o que me deixou bastante contente foi também ter a interação da página da Wigg Beer. Vimos que ali não tinha apenas um profissional falando da sua cerveja, e sim tinha um cervejeiro de coração. E pessoas assim meus amigos que acompanham esse blog, vale e muito a pena conhecer. 

Tive a certeza disso quando conversei com o dono da cervejaria, Bruno Azevedo. Perguntando sobre quando que começou a cervejaria e o porque do nome Wigg Beer, ele me mandou um belo texto, tão bacana que compartilho com vocês na íntegra (o post vai ficar um pouco grande em relação a outros posts, mas vale a pena), fala aí Bruno Azevedo: 

“O que falar da Wigg Beer? Isso me faz pensar em muitas coisas. Desde a época em que iniciei a degustar cervejas artesanais, cervejas especiais e, além disso, cervejas caseiras. As cervejas onde o cifrão não é o ingrediente especial e sim o amor, o carinho, a dedicação e a vontade de ter um resultado único e com uma identidade que transfira ao degustador o que nós somos. 

 A Wigg Beer iniciou como um hobby entre dois amigos, os quais eram motivados a fazer sua própria cerveja. Como sempre tento me aprofundar em coisas que me motivam, decidi estudar um pouco antes da primeira brassagem (cerca de 1 ano). Nossa quanta química e quantos processos envolvidos para se atingir um resuldado com prazo não muito curto! Acredito que este foi um dos principais motivos para que um dos amigos desistisse de seguir com a vida cervejeira. Mas isso não nos separou como amigos e nem me desmotivou, ao contrário, tento evoluir cada vez mais e me dedico a cada dia que passa para conseguir atingir um grau de aceitação nesse mercado de cervejarias caseiras e claro visando sempre um crescimento da produção até atingir as cervejas comerciais. Iniciamos com a primeira brassagem em Janeiro desse ano (2016), ainda somos pequenos, com levas reduzidas mas com o coração e vontade imensos e intensos. 

 Sempre tenho apoio dos familiares e claro da pessoa que inspirou o nome da cervejaria Wigg Beer. 

 Esse nome vem da pessoa que me apoia a quase 10 anos. Minha namorada foi a motivação desse nome. Eu digo que ela chegou com o Wigg e eu com a cerveja Beerkkkk 

 Achamos que o significado da nossa União a tantos anos e amor companheiro, além de muita história e coisas que passamos nesse tempo, seria o necessário para descrever o quão dedicado seria para engarrafar e espalhar esse amor líquido para degustadores e apaixonados por cerveja artesanal desse Brasilzão de meu Deus. 

 Acredito que essa seria uma breve descrição do que somos e a importância que damos aos nossos degustadores e as nossas cervejas.” 

À direita, a responsável pelo nome da cervejaria, Marcela Wigg, e ao seu lado Bruno Azevedo, criador da Wigg Beer.

Mas da época da postagem até hoje muita coisa mudou para melhor, a começar pela garrafa que antes era de apenas 300 ml, agora dobrou sendo 600 ml da mais pura alegria líquida. Sua logomarca também ficou lindíssima, obra e arte de outro querido amigo do BMdC, o excelente Alexandre Paziani, muito mais conhecido como @o_cervejonauta (que também fez a nossa logo mais recente), e principalmente a Wigg Beer está expandindo horizontes, e deixando a cidade de Macaé pequena para a competência e qualidade de suas cervejas. Como assim BMdC?? É que além das cervejas em garrafas que ainda são produzidas em Macaé, a Wigg Beer agora está produzindo chope para ser vendido em dois bares no Espírito Santo. E para que esse chope chegue a esses bares bem frescos, a produção foi direcionada para a cidade de Pedra Azul – ES. 

Cerveja vendida como comentamos antes em garrafas de 600 ml (ainda bem, quanto mais cerveja melhor) com 4,8% de graduação alcoólica e 25 IBUs de amargor. A Wigg Beer Kölsch tem uma coloração amarela clara turva com uma espuma branca bem bonita que é coisa de doido, pois sua formação e duração são simplesmente espetaculares. No aroma temos um frutado bastante sutil, porém, muito agradável, mas, o sabor é algo maravilhoso, pois seu amargor é bastante leve, dando espaço para um paladar com um leve sulfuroso, se não tivéssemos visto a garrafa teríamos achado que estávamos bebendo uma NE IPA pelo leve harsh que ela dá durante o gole, e isso é explicado pela cepa de leveduras utilizadas para essa receita que acaba resultando nesse paladar muitíssimo agradável, final do gole bastante seco fazendo com que a garganta peça um novo gole o mais rápido possivel. 

Opinião do BMdC sobre a Wigg Beer Kölsch: Mais uma bela cerveja que a Wigg Beer apresenta para quem ama cerveja boa. Achamos muito dificil que alguém que ainda não experimentou esse estilo não vá gostar da releitura que a Wigg Beer fez. Uma cerveja para ser DE-GUS-TA-DA sem a menor pressa e apreciando o que tem dentro do copo. 

Quem curtiu esse textão (desculpe, concordamos que dessa vez ficou um pouco longo) e ficou na vontade de beber essa cerveja pode entrar em contato diretamente no Instagram @wiggbeer, ou se você é do Espírito Santo e quer beber ela fresquinha diretamente do barril, segue os dois enderços que você poderá encontrar: 

Tuia Gastronomia e Arte: Rota do Lagarto – São Paulo do Aracê, km 07 – Domingos Martins – ES 

Alecrim Cozinha Artesanal: Rodovia Geraldo Sartório, km 05 – São Paulo do Aracê, Domingos Martins – ES. 

E você que está lendo essa postagem, já bebeu a Wigg Beer Kölsch ou qualquer outro estilo feito pela Wigg Beer?? Fala pra gente o que achou dela aqui no final da postagem ou então em nosso e-mail bebacomagente@blogmundodacerveja.com.br 

Saúde galera cervejeira, e bora beber!!