Resenha cervejeira: Cerveja Beck’s (German Pilsner)

6 de maio de 2020 1 Por blogmundodacerveja

Por: Pedro Freitas

 

Olá galera cervejeira, tudo bem com vocês?

Hoje é dia de falar de uma garrafinha verde que tá se alastrando por supermercados, lojas de conveniência e no gosto de quem gosta de uma boa cerveja. Bora falar da Cerveja Beck’s que chegou recentemente aqui no Brasil pelas mãos da gigante cervejeira AmBev.

Como sempre, gosto de comentar sobre a história das cervejas e cervejarias que passam aqui no BMdC. E não seria diferente com a Beck’s, e procurando saber sobre sua história, encontrei um artigo muito rico em detalhes no site Mundo das Marcas, onde conto um pouquinho aqui. Lá conta que: “a história da cerveja BECK’S começou no dia 27 de junho de 1873 quando o grande mestre cervejeiro Heinrich Beck, o engenheiro Lüder Rutenberg e Thomas Bay, se uniram para formar a cervejaria Kaiserbauerei Beck & May, na cidade de Bremen no norte da Alemanha. A primeira cerveja, batizada de BECK’S PILSNER PREMIUM, foi produzida de acordo com a conhecida Reinheitsgebot ou Lei da Pureza da Cerveja, que data de 1516, onde a cerveja deveria ser feita somente com malte de cevada, lúpulo e água. A cerveja imediatamente era vendida para as tabernas e pequenos estabelecimentos da cidade de Bremen. No ano de 1875 a cervejaria adotou o nome Kaiserbauerei Beck & Co., depois da saída de Thomas May da sociedade. No ano seguinte surgiram três ícones da marca: a chave que aparece nos rótulos da cerveja e que representa a “Key of Bremen” (chave da cidade de Bremen), o rótulo oval e a tradicional garrafa verde (para que a luz não alterasse o sabor da cerveja), uma grande inovação para a época já que as outras cervejas eram vendidas em garrafas de cor âmbar. Era o início do nascimento de um ícone alemão do segmento de cervejas. Outro fato importante que ocorreu nesse ano foi a eleição da BECK’S como melhor cerveja do mundo em uma tradicional feira realizada na cidade de Filadélfia nos Estados Unidos.”

Em 2002, a Beck’s foi vendida por 1.8 bilhões de euros para a Interbrew que por sua vez em 2004 foi fundida com a AmBev para criar a InBev.

Cerveja vendida em garrafas long neck de 330 ml, além de latas de 350 ml e garrafas de 600 ml (no caso aqui no BMdC bebi a long neck de 330 ml) com 5,0% de graduação alcoólica com 20 IBUs de amargor (informação que peguei na página da Beck’s no portal da Ambev, pois não consta essa informação na garrafa). A cerveja Beck’s possui coloração dourada, brilhante, límpida, com espuma branca de média formação, porém bela duração deixando uma película de espuma até o final do copo, além de generosas marcas de espuma nas laterais desse copo. No aroma, nuances de malte e de lúpulo de forma bastante discreta. No sabor, além do sabor do malte utilizado, um amargor maior que nas cervejas que encontramos com facilidade nos supermercados por aí. Sabor bastante agradável com um final de gole seco.

Opinião do BMdC sobre a Cerveja Beck’s: Cerveja super leve, com um amargor bem interessante, cerveja com sabor rico e intenso, muito ao contrário (na minha opinião) das outras cervejas que possuem garrafa verde, que geralmente acho um sabor aguado e enjoativo, que empapuça rapidamente, essa não, tem uma drinkability muito alta, perfeita para levar num churrasco com toda a galera.

A cerveja Beck’s por ser uma cerveja tradicional da Alemanha, combina muito bem com os principais pratos alemães. Mas para quem busca alimentos mais leves ela também harmoniza com peixes grelhados, frutos do mar e saladas por conta da sua alta refrescância.

Como comentei no início do post, a Beck’s é encontrada em vários supermercados, lojas de conveniência e também na loja on line da AmBev, o Empório da Cerveja. E você que leu esse post, já bebeu a Beck’s? Gostou dela? Conta pra mim aqui no final do post.

Saúde galera cervejeira, bora beber.